Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Milão: primeira floresta vertical do mundo

Mäyjo, 31.10.14

milao_5

À primeira vista, o projecto pode parecer ambicioso de mais para ser concretizado. Porém, a primeira floresta vertical do mundo já foi inaugura este mês.

Localizada em Milão, a Bosco Verticale é um projecto do Boeri Studio destinado a dar uma resposta ao desafio de como tornar as cidades mais verdes ao mesmo tempo que suportam uma densidade populacional ainda maior. 

Comparando com terreno plano, as duas torres de apartamentos têm capacidade para albergar cerca de 10 mil metros quadrados de floresta, incluindo 480 árvores de médio grande porte, 250 árvores de pequeno porte, 11 mil arbustos rasteiros e cinco mil arbustos. As plantas vão ser regadas através de um sistema de reutilização das águas das habitações e a energia será fornecida por painéis fotovoltaicos, refere o Inhabitat.

Em termos de população, cada torre suporta a população equivalente a uma área de habitações unifamiliares de quase 50 mil metros quadrados. O apartamento mais pequeno tem 65 metros quadrados e um pequeno terraço no meio da floresta. O apartamento maior tem cerca de 450 metros quadrados, com um terraço de 80 metros quadros.

 

Louça que se lava sozinha pode poupar milhares de litros de água desperdiçada

Mäyjo, 31.10.14

Louça que se lava sozinha pode poupar milhares de litros de água desperdiçada (com FOTOS)

Lavar a louça pode, em breve, ser uma tarefa do passado. Um atelier de designers suecos,Tomorrow Machine, desenvolveu louça que se lava sozinha. Assim, além de não ter de lavar todos os dias a louça, poupa milhares de litros de água por ano e, não menos importante, na factura da água.

Estes designers desenvolveram uma linha de louça e cobriram-na com uma camada impermeabilizante, que faz com que a comida não adira ao recipiente. Para o limpar, basta verter os restos para o lixo e a louça fica novamente limpa, refere o Inhabitat.

Para desenvolver esta louça que se lava sozinha, o ateliê Tomorrow Machine trabalhou com os investigadores do KTH Royal Institute of Technology, em Estocolmo. A camada impermeabilizante é feita de cera dissolvida a alta pressão e temperatura, que repele a água, gorduras e outras sujidades. A tecnologia permite ainda poupar electricidade –para limpar a gordura da louça, é normalmente necessário água quente – e detergente.

A ideia surgiu quando a equipa foi desafiada pela Federação Sueca das Indústrias Florestais a conceber um produto futurístico a partir da celulose extraída das árvores.

Transgénicos: a destruição da biodiversidade e da soberania

Mäyjo, 31.10.14
Imagem obtida aqui
No Ano Internacional da Agricultura Familiar (e sempre), é preciso ajudar as pessoas a perceberem a destruição que os transgénicos causam à agricultura familiar, à biodiversidade e à soberania alimentar. A "Segunda Revolução Verde", como lhe chama Vandana Shiva (no vídeo), liderada pela ambiciosa e perigosa multinacional Monsanto, é a antítese da agricultura familiar.
 
A ONU já comprovou que a agricultura familiar é a única que pode fazer frente à pobreza. Por outro lado, a agricultura dos transgénicos e dos agroquímicos irá agravar o fosso entre ricos e pobres, acabar com a soberania alimentar dos povos.

 

O Mar Aral

Mäyjo, 31.10.14

O Mar de Aral, com uma área de aproximadamente 68 mil quilómetros quadrados, era considerado (até pouco tempo atrás) o quarto maior lago do mundo. Contudo, essa realidade mudou de forma drástica e tudo o que resta hoje nessa área da Ásia Central, entre as fronteiras do Cazaquistão e do Uzbequistão, é um deserto tóxico.

A tragédia ecológica começou na década de 1960, quando a água dos grandes rios que alimentavam a bacia lacustre foi desviada com o objetivo de irrigar milhões de hectares de algodão. A NASA documentou durante os últimos 14 anos uma série de fotografias de satélites que evidenciam a extinção de qualquer rastro de água sobre o que foi uma vez o grande Mar de Aral. Para evidenciar essa realidade irreversível, foram divulgadas duas imagens, uma correspondente ao dia 19 de agosto de 2014, e outra de 25 de setembro de 2000.

a.jpg

aa.jpg

 

 Fonte: El Universal  

Telhados brancos podem ajudar na luta contra alterações climáticas? Depende.

Mäyjo, 31.10.14

Os telhados pintados de branco podem ajudar na luta contra as alterações climáticas? E os telhados verdes? Um trabalho publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences abordou estes dois temas e a resposta, curiosamente, é a mesma: depende da região onde eles se encontram.

O estudo foi desenvolvido nos Estados Unidos e explicou, por exemplo, que este tipo de telhados não produzem muitos efeitos no norte do País – mas funcionam no sul. Por outro lado, e no que toca especificamente aos telhados pintados de branco, eles conseguem melhores resultados na Flórida, no sudeste, que na Califórnia, no Pacífico.

De acordo com Matei Georgescu, cientista da sustentabilidade na Universidade Estadual do Arizona e principal autor do estudo, os telhados são importantes principalmente em áreas urbanas, aquecidas pelo asfalto.

Um exemplo são os telhados verdes nova-iorquinos, uma das grandes tendências de sustentabilidade da cidade e que ajudaram a diminuir a utilização de ar-condicionado.

O trabalho utilizou modelos do clima para examinar seis megalópoles. “O nosso estudo mostra que a geografia importa”, afirmou Georgescu. No caso das cidades do norte, a economia de energia pelo uso de menos eletricidade no Verão é anulada pela exigência de aquecimento no Inverno.

“A avaliação de consequências que se estendem para além das temperaturas próximas de superfície, como precipitação e procura de energia, revela factores importantes que por vezes não são levados em conta”, concluíram os pesquisadores, de acordo com a Nature World News.

Foto:  Walmart Corporate / Creative Commons

Pág. 1/11